Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2013

c i n e l a m a - cena 2

poesia de poste

continuando a série:
as coisas que mexem daqui do lado de dentro
eis que surgiu o poesia de poste

numa caminhada outro dia, passei por uns postes cheios de panfletos, algo como:
SAHRA DE IEMANJÁ TRAZ SEU AMOR DE VOLTA
ALUGA-SE FLAT 8866-8888
etc


daí pensei:
- por que não poesia?

a ideia foi sendo maturada,
nasceu o poesia de poste
dando alento ao meu desejo de "levar" a poesia
por que é como eu já disse antes,
na postagem poesia: pão que alimenta a alma
poesia é pão espiritual, deveria ser degustada na padaria, no supermercado
não tem contra-indicação, não engorda,
não leva agrotóxico, é orgânica!

a poesia
precisa chegar nas pessoas
pois tem a propriedade de tocar almas, vidas, sonhos
é feita de materiais sutis e pode dar voz e forma a tanto do que sentimos

pois bem,
pessoas queridas gostaram da ideia
apoiaram

Eddy Polo criou o template e escreveu comigo a primeira
estamos criando uma rede de poetas e coladores
e já temos colaboradores em natal, rio e são paulo,
o tema é livr…

CINELAMA

faz algum tempo venho acalentando algumas ideias aqui comigo,
penso em muitas coisas, algumas amadurecem e se realizam,
outras ficam anotadas aguardando seus futuros,

desde o momento que eu chutei o pau da barraca há dois anos,
que larguei os empregos e fui à Índia com a mala cheia de interrogações,
voltei com umas coisas se mexendo muito dentro de mim
e não! não é verme! risos
depois do banho no Ganges, tomei todas as providências necessárias de uma boa ocidental...

enfim, essas coisas que se mexem daqui do lado de dentro me despertaram uma grande vontade de fazer cinema, ãh?
sim, eu não entendo absolutamente nada de cinema,
a única coisa que sei fazer é curti-lo, nada mais,

mas tenho um projetor, ele já tem alguns anos, é verdade,
eu o comprei pra dar aula, como larguei alguns dos cenários onde atuava, o projetor ficou um pouco ocioso, daí então comecei a matutar o que poderia fazer com ele, unindo-o às minhas ideias de intervenções na cidade, então pensei:
- por que não usa-lo par…

faça amor!

paralelas viciadas

paralelas que se abraçam...

serpentina

minha caneta passeia em tua pele de papel

E vira brisa ,flôres , anzóis e carretel enlaçando cores, passeando no céu... em paredes de casa de família e de bordel...

acrílica sobre tela

produzindo...